Pedacinhos de Mim

Quando estiver só vem me procurar...Ilumina minhas palavras com a luz do seu olhar.

Meu Diário
15/04/2013 23h46
Segredos

Segredos

Augusta Schimidt

 

Revelando seus segredos,

Num poema bem dito

Bendito é o poeta

Que de amores tem escrito.

 

Segredos guardados no porto seguro

De sonhos, revelados às ondas do mar,

Com pés de vento correndo no tempo

Segredos de poeta, nos corações,

Deixam-se ficar...

 

 


Publicado por Augusta Schimidt em 15/04/2013 às 23h46
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
 
15/04/2013 23h42
A Espera

A Espera

Augusta Schimidt

 

Dormem sentimentos na madrugada

A espera de um milagre acontecer

Chuva de estrelas cintilam esperança

Do sono ao sonho, chega o amanhecer.

 

Gotas de orvalho salpicam a face

Vagalumes clareiam a escuridão

Luz na alma acorda a ilusão...

 

A dor da saudade aperta o peito

Faz pulsar em ondas o coração

Eis que você aparece,

Com a força da vontade e o amor

Que inspira uma canção.

 

No horizonte da vida algo acontece,

É o eco a me dizer: Espera... Estou voltando.

 

 


Publicado por Augusta Schimidt em 15/04/2013 às 23h42
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
 
15/04/2013 23h37
Um Rio

Um rio...

Augusta Schimidt

 

Apenas um rio, caudaloso e belo. Um rio enorme onde do lado de cá não se vê o lado de lá.

Um rio de água viva ornado de arvores imensas, benditas, verdes de ver esperança que beijam o céu.

Um rio cheio de mistérios e desafios cercado de terra molhada beijada por suas águas.

Cenário sem igual...

Plantas carnívoras com fome de insetos, tapetes régios de vitória flor berçário de vida.

Aves coloridas que cantam a sinfonia do amanhecer saudando a chegada do sol que aquece a natureza.

Canoas remadas por gente nativa, seguindo trilhas enquanto a vida na selva se agita.

Do alto de uma cordilheira nasce um gigante com o coração generoso que entrega suas águas ao oceano... Rio Amazonas, um manancial de pura magia e riqueza.

 

Campinas/SP


Publicado por Augusta Schimidt em 15/04/2013 às 23h37
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
 
15/04/2013 23h33
Conexão Poesia

Conexão Poesia

Augusta Schimidt

 

Debaixo do céu, morada das estrelas, em cada canto há o encanto de um poeta que conectado com a inspiração, faz versos...

Poeta combina com cores; pode ser de arco-íris, de borboletas e até de bolhas de sabão... E quando está conectado com o mundo, acorda todos os dias com o coração cheio de domingo e a sua poesia fica do tamanho da sua intenção e as cores do seu desejo.

E quando ele cruza o horizonte, sua inspiração cresce do tamanho da imensidão...

Poeta navega mares, encanta-se... Não se importa com sua bravura ou se está leve e solto, pois de qualquer maneira a poesia nasce.

Se você quiser sonhar, basta olhar no espelho dos olhos de um poeta e logo vai descobrir todos os segredos do mar da vida.

E quando um poeta atraca seu barco de versos num porto seguro, a gente sente o vento doce, a brisa de carrossel, sente o cheiro da cachoeira tocando o hino das águas...

É então neste momento que ele tira as palavras do coração e escreve poesia com emoção...

 

 


Publicado por Augusta Schimidt em 15/04/2013 às 23h33
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
 
15/04/2013 23h31
Fundo de Mundo


Fundo de Mundo



Augusta Schimidt



 



A natureza é perfeita! Quando aqui é verão, lá é inverno, quando lá é primavera aqui é outono e de repente tudo se inverte.



É assim que o mundo fica com fundos para todos os gostos.



E quando um poeta escreve, ele pode escolher um fundo de mundo que melhor realça seus versos.



O mundo é cheio de vida, por isso às vezes, no fundo dele aparecem pedaços...



“Uns transparentes, outros mais opacos” (*JM).



 Quando entramos no pedaço transparente, nosso coração que é a caixinha de musica do pensamento toca a sinfonia do tempo, passado, presente, e futuro.



Quem entra no pedaço opaco, não entende de sinfonia e nem de poesia, porque não ouve, não sente, não vê.



A vida é uma arte e nos cabe a transparência para construir a casa da nobreza feita de grandeza.



Às vezes, no fundo do mundo também encontramos pedras. As que vemos no espaço transparente são moldadas pelo vento, esculturas naturais, lindas e únicas e nunca serão iguais. E quando a chuva da o ar da graça cria sulcos, transformando as esculturas em gotas de cristal .



Mas as pedras do espaço opaco, sequer permitem que as estações lhe criem marcas. São estáticas, imutáveis.



Mas isso pode mudar... É só deixar que o segredo da vida sonhe neste lugar. E quando isto acontecer, as pedras se tornarão um marco, ponto de referencia dos que chegam e dos que partem e estes terão vontade de voltar.



 



 (* A vida é cheia de pedaços... Uns transparentes, outros mais opacos.)



Joaquim Marques



 


Publicado por Augusta Schimidt em 15/04/2013 às 23h31
Copyright © 2013. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.



Página 1 de 24 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 » [próxima»]

Site do Escritor criado por Recanto das Letras