Pedacinhos de Mim

Quando estiver só vem me procurar...Ilumina minhas palavras com a luz do seu olhar.

Meu Diário
09/07/2005 14h55
Menino Sapeca
Menino sapeca
Levado da breca
Feliz e contente
Sorriso nos lábios
É um amigão.

É amigo de todos e de tudo
Das folhas,
Das flores,
Dos animais,
Dos rios e correntezas,
Das matas e coqueirais,
Das pessoas que vivem nas vilas...
E o que se pode querer mais?

Menino sapeca não pára
Bolinhas de gude na mão
Canequinha com bolhas de sabão,
Pipa no ar
Bola no pé
É tudo que o menino quer.

Na escola nunca se enrola,
Faz tudo que a professora quer
Tem boas notas
Sabe ler, escrever,
Sabe até cantar em inglês !

Menino sapeca
É menino querido
E quando crescer
Vai ser muito sabido.

Meu querido menino sapeca
Quero que você saiba
Que lhe tenho no coração
Nunca perca a esperança na vida
Lute sempre!
Vá em frente!
E seja campeão.

Publicado por Augusta Schimidt em 09/07/2005 às 14h55
 
09/07/2005 14h44
Belinha
Sentada no seu cantinho
Com lápis de cor na mão
Belinha pintou a paisagem
Que via com o coração

Com o verde pintou muita grama
Com o vermelho fez as florzinhas
Com o preto as joaninhas
Enfeitadas com bolinhas

Fez também as borboletas
Cada qual com sua cor
Mas a sua preferida
Era a rosa ...
Símbolo do amor

Faltava pintar o céu...
Escolheu então,
Um azul especial
Pois queria que ficasse parecido
Com gotinhas de cristal.

Agora sim estava ficando bom
Um desenho quase perfeito
Mas faltava pintar o sol
Para que tudo ficasse do seu jeito.

Com o lápis amarelo na mão
Pintou um sol bem grande...diferente
Pois tinha olhos, nariz e boca
E sorria muito contente.

Publicado por Augusta Schimidt em 09/07/2005 às 14h44
 
09/07/2005 14h39
Menino
Menino...deliciosa magia
A inocência da infância
Irradia alegria

Menino eu te encontro
Em vários lugares
Em baixo...
Em cima...
Dentro...subindo...
Balançando...
Correndo...
Em volta...pulando...
Fazendo barulho
É o dono do mundo

Menino que o anjo protege
Que odeia menina
Que ama sorvete
Canivete...pedaços de pau
Bolinhas de gude
Água de açude
Que adora uma encrenca
Chaveiros em penca
Cachorro
Mosquito
Muros...quintais
Menino querido
Você é demais...

Menino é aquele
Queira você ou não,
Vira seu dono
Até seu patrão
Mas não sai nunca
Do seu coração

E quando em casa chegamos
Cansados...com as esperanças perdidas
E os sonhos desfeitos
Menino magia, com sua alegria
A tudo consola
Conserta os pedaços
Com seu doce abraço

Publicado por Augusta Schimidt em 09/07/2005 às 14h39
 
09/07/2005 14h25
Amigo Sol...Amiga Lua
Amigo Sol
Amiga Lua
Nascidos no mesmo céu
Criação do mesmo pai... Criador
São seres bem opostos,
Só que os dois respiram amor.

Amigo Sol
Amiga Lua
Amigos excepcionais
Mesmo que eu peça a Deus outro
Igual não fará jamais

Companheiros inegáveis
Donos de suas verdades
Cheios de manhas
Simpatia estranha
Caráter forte
Inegavelmente meus dois amores
Pela eternidade...

(Gerson & Helô)

Publicado por Augusta Schimidt em 09/07/2005 às 14h25
 
08/07/2005 17h57
Conhecendo a Mata Atlântica
Ao longo da costa leste
Deste Brasil de todos nós
Alinham-se montanhas
Morada da floresta...Mata Atlântica
Onde a vida acontece
E isso ninguém contesta.

Para explorar a imensidão
Vou percorre-la numa excursão
Vislumbrando a natureza
E toda a sua rara beleza

Das encostas aos altos picos
Cada trecho é um desafio
Que resolvi aceitar
Para a Mata Atlântica
Poder conhecer e explorar

A vegetação das montanhas
Por serem próximas do litoral
Sofrem influencia da umidade dos ventos
Proporcionando um cenário impar
De encantamento

Devido a alta umidade
Existe o fator responsabilidade
Pela exuberante beleza
Da realeza da mata

A natureza colabora
Mandando luz e calor do sol
Fazendo com que as plantas floresçam
Desenvolvam e ornamentem
A paisagem natural

A vida na floresta é real
Do alto das árvores
Doce lar das aves
Ao solo fértil
Ornamentado pelos tapetes de folhas
Vemos macacos,
Insetos, herbívoros e carnívoros
Fazendo parte da população
Vivendo em harmonia e união
Cada qual no seu espaço
Cada qual com sua missão

Os diversos sons da mata
Chamam de longe a atenção
Muitos deles vêm dos pássaros
Outros vêm da imensidão

Do imponente Rio de Janeiro
Aos sertões de Minas Gerais
As matas que outrora enfeitavam
Hoje quase não existem mais

O desmatamento acelerado
Foi ação da evolução
De norte a sul do país
Favorecendo assim
O aumento da população

Desde os primeiros tempos
Logo após o descobrimento
A exploração da Mata Atlântica
Não ficou só no pau – Brasil

Árvores como a peroba
O cedro, a canela e o jacarandá
Foram intensamente explorados
Sendo por isso hoje
Muito pouco encontrados

Quanto às plantas da bela mata
Percorrendo a região costeira
Desde as praias aos manguezais
Existem variedades enormes
De espécies vegetais

E pelo aspecto da vegetação
Podemos definir então
Se estamos na floresta
Nas encostas das serras
Ou até nos manguezais

Já terminando a excursão
Aqui fica uma importante informação
Para que você aprenda mais

Das Bromélias aos animais
Dos Ingás aos Jequitibás
A Mata Atlântica precisa ser
Mais amada
Respeitada
Pois é filha da Natureza
Que hoje chora a falta de amor
E respeito pela sua beleza.

Campinas/05/07/2005

17.00hs

www.augustaschimidt.prosaeverso.net

Publicado por Augusta Schimidt em 08/07/2005 às 17h57



Página 10 de 24 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 » [«anterior] [próxima»]

Site do Escritor criado por Recanto das Letras