Pedacinhos de Mim

Quando estiver só vem me procurar...Ilumina minhas palavras com a luz do seu olhar.

Meu Diário
27/03/2006 14h34
Cuidados com a Saúde e Higiene Corporal
A pratica de exercícios físicos
E os cuidados com a alimentação
São hábitos necessários
Para se fazer a manutenção

Manter limpo o corpo humano
E ter o hábito de lavar as mãos
Pode ser este o segredo
De ter sempre boa saúde
E viver com satisfação

Publicado por Augusta Schimidt em 27/03/2006 às 14h34
 
27/03/2006 14h32
A Jazida... transformação...
Jazidas são locais
De depósitos naturais
De onde o ser humano extrai
Vários tipos de minerais

A extração de minérios
Chamada de mineração
Provoca sérios danos
Ao ambiente e à população

O minério de ferro no subsolo
É apenas recurso natural
Depois de extraído
É que se torna o produto final

Da jazida o ferro sólido
É levado a outro local
E aí é separado
Das impurezas em geral

Na Indústria Siderúrgica
Ele é moído e trabalhado
Transformando-se em lingotes
Para as metalúrgicas são levados

Só então sendo transformados
Em matéria de consumo permanente
E levados para lojas
Para serem consumidos
Por pessoas diferentes.

Publicado por Augusta Schimidt em 27/03/2006 às 14h32
 
27/03/2006 14h29
O céu é o limite
Será que existe um limite
Entre a terra, o céu e o mar?
Não creio que ele exista
Pois o homem foi conquistar

Contam os gregos antigos
Que Ícaro ousava sonhar
Queria ser como um pássaro
Para que pudesse voar

Ao longo de tantos anos
O homem chegou ao espaço
Primeiro foi o balão
Depois dele o avião

Os soviéticos foram pioneiros
Na corrida espacial
Eles colocaram em órbita
O primeiro satélite artificial

Mas foi um americano
Que realizou o grande sonho afinal
A bordo da Apolo 11
Fez a viagem triunfal
Pisou na lua
Realizou um sonho
Conquistou o espaço universal

Publicado por Augusta Schimidt em 27/03/2006 às 14h29
 
06/10/2005 18h56
Confissões de Menina
Confissões de Menina
Augusta Schimidt

Eu era feliz... Morava numa casa com jardim, tinha um canto só pra mim, comida bem temperada, água fresquinha na sombra, tinha até um lindo colar com meu nome nele gravado pra poder passear na calçada.
Fui crescendo meio desengonçada, um pouco arteira, mas bem humorada mansa e bem educada.
Eu era feliz sim, até que um dia uns homens maus invadiram meu jardim, gritaram com o meu dono, no carro atearam fogo, e eu sem poder ajudar, muito assustada fugi, pra não me machucar.
Corri pelas ruas até me cansar e logo percebi que não sabia mais voltar.
Foi aí que meu mundo escureceu... Perdeu o brilho e sem minha família, cai na vida dormindo em praças, debaixo dos bancos, comendo restos que encontrava, tomando água das poças quando achava, implorando carinho que não vinha tendo que correr das pedradas e até da carrocinha.
Certo dia um cão maroto, com cara de galã roto, resolveu se aproximar pra comigo namorar.
Achei aquilo normal, afinal meu dono havia dito que quando chegasse a hora, me arrumaria um noivo bonito.
Mas pra minha infelicidade, o que aquele cão queria, não era me fazer companhia. Ele me deu uma surra pra poder me engravidar e eu desiludida procurei outro lugar.
Novamente fugi pra bem longe, corri tanto que até esqueci o que procurava ali.
Depois de muito andar, encontrei um novo lugar pra poder me abrigar. Era um grande casarão e a presença de muitas crianças fez vibrar meu coração.
Desconfiada, entrei pela porta dos fundos e bem quieta e escondida, tentei me curar das feridas, que a rua me deixou.
Casa estranha era aquela, cheia de portas e janelas, crianças brincando e cantando, falando coisas que nunca ouvi, fiquei curiosa pra saber o que era ali.
De repente tocou uma sirene e só aí percebi que era uma escola o lugar que escolhi.
Pensei rápido na minha sorte, pois se fico ali escondida, morro de fome e de sede. Se apareço posso deixar as crianças com medo.
Quase nunca me senti assim, sem saber o que fazer, então resolvi arriscar, nada mais tenho a perder.
Vou tentar uma aproximação, quem sabe encontro alguém que tenha bom coração.
No dia seguinte bem cedo, me aproximei das crianças que logo me acolheram e me devolveram a esperança.
Infelizmente ninguém me conhecia, por isso não pude voltar. Também nem sei se queria, pois não sabia se minha família iria encontrar.
Fiquei por ali então, fazendo novos amigos, comendo uma refeição por dia, tomava água na bacia e assim passava o meu dia.
Comecei a engordar novamente, mas só bem tarde fui perceber que uma cria iria ter.
Todos já sabiam, por isso até casa eu ganhei, ficava debaixo de uma árvore por quem logo me apaixonei.
Quando meus onze filhotes nasceram, é claro que me assustei; como iria dar conta de todos, logo pensei.
Mas o destino não quis que minha ninhada crescesse, pois um a um foi morrendo, bem antes que o sol nascesse.
E quando amanheceu o dia, bem na hora da gritaria, um jovem de alma doce, me levou água fresca, me acarinhou a cabeça e me falou ao ouvido:
“Calma Menina, não se aborreça, logo estará em forma, sem que nenhum mal lhe aconteça”.
O tempo passou depressa e hoje sou feliz novamente. Ganhei uma nova família que me ama e me faz vibrar de contente, pois todos me chamam Menina a cachorra inteligente.

Campinas/06/10/05
17.00h
www.augustaschimidt.prosaeverso.net

Publicado por Augusta Schimidt em 06/10/2005 às 18h56
 
06/10/2005 18h38
Planeta Terra... morada da vida
Planeta Terra... morada da vida
Augusta Schimidt

Terra...
Morada da vida
Terra do chão que dá o pão
Planeta do semelhante
Do ser errante
Da harmonia das cores
Da beleza das flores

Terra...
Planeta que respira
Planeta magia
Que transforma a noite em dia
Terra onde o sol brilha
E as estrelas nos fazem companhia
Inspirando poemas e canções
Despertando paixões
Acalentando corações...

Terra paraíso,
Abrigo dos animais
Do sol...
Do sal...
Das grandes conquistas

Terra do senhor tempo
Que cura ferida e sofrimento
Terra do tempo de guerra
Terra que exalta o homem de bem
Terra que procura a Paz...

Campinas/06/10/05

Publicado por Augusta Schimidt em 06/10/2005 às 18h38



Página 3 de 24 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 » [«anterior] [próxima»]

Site do Escritor criado por Recanto das Letras